5% off na primeira compra. Aproveite!

Retenção de partículas: o que significa?

retenção de partículas purificadores de água

Se o assunto é purificador de água, você já deve ter se deparado com o termo retenção de partículas, certo? Esta é uma classificação de eficiência dos produtos, muito procurada para ajudar a escolher entre os variados modelos.

O nível de atuação varia de acordo com cada fabricante e produto. Os purificadores são aparelhos de melhoria da qualidade da água. Assim, eles são responsáveis por reter diversas impurezas de tamanhos igualmente variados.

Afinal, se esse é um critério relevante, como deve ser feita a escolha? Antes de mais nada, vamos entender melhor o que significa a classificação de retenção de partículas?

O que o purificador não deixa passar

Primeiramente, precisamos pensar na qualidade da água que bebemos. Os purificadores existem para deixar a água tratada ainda mais segura para o consumo. 

Nas estações de tratamento, são realizados diversos procedimentos para atingir os padrões de potabilidade. Por outro lado, a água percorre um longo caminho para chegar às nossas casas. As tubulações, cisternas e caixas d’água podem ser focos de contaminação. Por isso, a etapa da retenção de partículas é tão importante.

De lodo e areia a resíduos de remédios e microplásticos, muitas partículas e substâncias podem estar presentes na água. Assim, para garantir água de qualidade, um purificador pode eliminar, reduzir e retirar elementos.

Os processos físicos e químicos dos aparelhos retêm impurezas, reduzem o excesso de cloro e removem sabores e odores indesejáveis. O cloro, por exemplo, se encontrado em excesso, pode causar irritação e coceira na pele e nas mucosas.

Existem diferentes sistemas de filtragem e purificação, com capacidades distintas. A retenção de partículas é comum a todos, variando apenas o nível de eficiência. Alguns modelos atuam de forma bacteriostática, impedindo a proliferação de bactérias. Já os refis com ação bacteriológica não apenas controlam a proliferação como também eliminam as bactérias presentes

Logo, ao procurar um purificador de água para a sua casa, é importante entender os critérios de avaliação. 

Quando o assunto é retenção de partículas, o tamanho faz toda a diferença

retenção de partículas

Desde já, vale lembrar que todos os filtros, bebedouros e purificadores devem passar por avaliação compulsória do INMETRO. Para conquistar o Selo do INMETRO, são realizados 3 testes de eficiência. A capacidade de retenção de partículas é um deles.

Definitivamente, o tamanho das partículas que o purificador consegue reter é determinante. As partículas contaminantes da água são praticamente invisíveis a olho nu. 

Um grão de areia, por exemplo, costuma medir 200 µ. A menor partícula que nossos olhos podem identificar possui 40 micra (µ). Micra é o plural de micrômetro ou mícron, e equivale a dividir 1 milímetro por 1000.  

A ABNT estabelece uma tabela de classificação para a eficiência na retenção de partículas, que vai de A a F. Na classificação A, o aparelho deve reter partículas que medem de 0,5 a 1 mícron. Na classificação F, as partículas medem de 50 a 80 micra. Logo, se o filtro possui uma capacidade maior de filtragem, então o tamanho da partícula é menor.

Retenção de partículas e teste de eficiência

A testagem da capacidade de retenção de partículas determina o tamanho da partícula sólida que o aparelho pode filtrar. O ideal é atingir a capacidade de reter 85% das partículas, tornando a água segura para consumo.

selo inmetro purificadores de água

A classificação A é a melhor, concedida a aparelhos capazes de reter impurezas de qualquer tamanho.Por outro lado, a classificação F retém apenas as partículas maiores, fazendo um trabalho básico de purificação. Conheça mais sobre cada nível de classificação:

CLASSECAPACIDADE DE RETENÇÃO
AEntre 0,5 a 1 µ de partículas
BEntre 1 a 5 µ de partículas
CEntre 5 a 15 µ de partículas
DEntre 15 a 30 µ de partículas
EEntre 30 a 50 µ de partículas
FEntre 50 a 80 µ de partículas

A classificação de retenção de partículas pode influenciar no preço do produto, bem como na sua vida útil. Para descobrir qual é a classificação do seu aparelho, basta olhar na embalagem do produto ou no site do fabricante.

Apesar dos diferentes níveis de eficiência, todos eles são aprovados pelo INMETRO. Dessa forma, aparelhos com classificação A ou F entregam igualmente água adequada para o consumo. Mesmo o nível mais baixo de classificação  é eficiente.  A classe F ainda retém partículas de 3 a 5 vezes menores que um grão de areia.

Enfim, na hora de comprar o seu aparelho, o selo do INMETRO já garante a segurança básica necessária. Para quem deseja mais ou menos eficiência, há diversos modelos para escolher. Ainda está com dúvida? Clique aqui e descubra mais dicas para escolher o purificador ideal para a sua casa!