5% off na primeira compra. Aproveite!

Fome ou sede: por que confundimos as duas?

fome ou sede

Você sabia que é possível que seu organismo fique confuso algumas vezes, sem saber se está sentindo fome ou sede? 

Se você já ficou com fome logo depois de fazer uma refeição balanceada, deve ter achado minimamente curioso. À primeira vista, pode parecer uma compulsão alimentar, mas pode ser uma confusão gerada numa parte específica do cérebro.

Quer aprender melhor a diferenciar se o que está sentindo é fome ou sede? Então, fique com a gente para entender melhor porque isso acontece.

Por que o corpo não sabe se está sentindo fome ou sede?

Permanecer com fome depois de uma refeição é mais comum do que parece. Pelo menos, é o que parece que está acontecendo. Assim, se não houver outros fatores de saúde envolvidos, esse pode ser um importante sinal de que o corpo pode estar desidratado.

Estranho, não é? A explicação para isso está no hipotálamo, uma zona do cérebro responsável por diversas funções. Ela controla o equilíbrio térmico, o metabolismo, bem como o mecanismo do sono e as sensações de fome, sede e libido.

Afinal, o que causa essa confusão? A vontade de seguir comendo é realmente um sinal do cérebro de que algo ainda está faltando. Mas, em vez de comida, é da água que estamos falando. O corpo está tentando preservar as pequenas porções líquidas que recebeu na alimentação.

As sensações de fome ou sede podem provocar essa desordem no hipotálamo por causa da hidratação. Isso porque uma das fontes de obtenção de água do organismo está nos alimentos. Desse modo, o cérebro confunde os impulsos, como se precisasse comer para saciar a sede.

Caso o organismo esteja desidratado, o cérebro começa a estimular o indivíduo a ingerir mais água. A dúvida entre fome ou sede fica ainda mais curiosa se existe o incentivo da fome orgânica simultaneamente. 

A fome orgânica vem acompanhada de sinais físicos, como a dor de cabeça, a fraqueza ou a dor de estômago. É quando realmente precisamos de alimento. Nessa situação, a pessoa não sabe se tem fome ou sede, se bebe água ou come. 

Como já dissemos, as fontes de alimentos orgânicos têm alguma concentração líquida. Logo, o cérebro (que não sabe distinguir a quantidade líquida nos alimentos e na água) só envia sinais de suas necessidades. Cabe a nós tentar entender o que o nosso corpo precisa e suprir de maneira adequada.

Ajudando o seu cérebro a entender se é fome ou sede

como saber se é fome ou sede?

Antes de mais nada, fique tranquilo porque é muito simples ser um aliado do seu cérebro. Para ajudar o hipotálamo a entender se a necessidade é de água ou de alimento, basta evitar um déficit hídrico. Sentir sede já é um leve sinal de que o corpo está em processo de desidratação. 

Para manter o corpo hidratado é preciso beber a quantidade de água recomendada. A alimentação é igualmente importante. Isso porque os alimentos industrializados, secos e desidratados têm sido cada vez mais consumidos. Em vez disso, é melhor escolher frutas e vegetais, que são ricos em água.

É importante lembrar que a ingestão de líquidos deve acontecer de forma gradual, ao longo do dia. Beber água em excesso de uma única vez pode até causar problemas ao organismo. Manter um ritmo na hidratação facilita a absorção. Assim, a água alcança todas as partes do corpo, pouco a pouco.

Se estiver na dúvida entre fome ou sede, beba água primeiro. Só depois avalie se realmente é fome que o seu corpo está sentindo. Da mesma forma, ingerir mais água ajuda naturalmente a reduzir a fome, enviando sinais de saciedade ao cérebro. 

Hidratação é a solução

tomar água diminui a fome?

Definitivamente, beber água é um hábito sempre saudável, que só traz benefícios ao corpo. Até para ajudar o cérebro a entender se o organismo está com fome ou sede, a água tem papel fundamental. 

Por isso, daremos algumas dicas para melhorar a sua ingestão diária de água e não deixar a sede chegar! E, claro, nunca é demais lembrar que o ideal é beber sempre água purificada. Se você ainda não tem um purificador de água, essa é uma ótima opção para ter água pura sempre disponível. 

A média diária de ingestão de água recomendada para adultos é de 2 litros. Por outro lado, cada pessoa precisa de uma quantidade diferente. Esse volume pode ser descoberto com um cálculo simples. Descubra aqui a quantidade ideal para você.

Para incentivar o hábito de ingerir porções de água ao longo do dia, você pode:

– Carregar uma garrafa ou copo reutilizável sempre com você;

– Tentar receitas de água saborizada, para deixar a hidratação mais interessante;

– Evitar bebidas diuréticas, como chá mate, chá preto e café;

– Instalar um aplicativo que ajuda a lembrar de tomar água.

E você, já ficou na dúvida se estava sentindo fome ou sede? Agora, você aprendeu mais uma maneira de ajudar seu corpo apenas bebendo mais água!