5% off na primeira compra. Aproveite!

Crise hídrica em Salvador: por que acontece?

Crise hídrica em Salvador

A população soteropolitana tem sentido os efeitos da crise hídrica em Salvador. Ao longo do ano, foram diversos períodos de falta de abastecimento.  

Dezenas de bairros foram atingidos pela falta de água e sofreram com o racionamento. Afinal, por que está faltando água? 

A crise hídrica em Salvador não é isolada. Definitivamente, a situação hídrica (e consequentemente energética) é delicada em todo o país. Os níveis dos reservatórios que abastecem cidades como São Paulo também estão baixos. 

Na capital da Bahia, houve problemas de obras na estação de tratamento, bem como vazamentos. Fique ligado para entender melhor. 

crise hídrica em Salvador é uma soma de vários fatores 

crise hídrica em Salvador

Antes de mais nada, é importante compreender como funciona o abastecimento da região. A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) é a responsável por este serviço em diversos municípios baianos. 

No mês passado, houve um vazamento na adutora, que reduziu a oferta de água para os soteropolitanos. Assim, foi preciso fazer um reparo, que gerou nova quebra no fornecimento em muitos bairros da capital. 

Por outro lado, a crise hídrica em Salvador é sentida desde o começo de 2021. Manutenções recorrentes e obras para desviar um trecho da adutora, suspenderam o abastecimento diversas vezes. 

Se não bastassem as questões de gestão, existe um problema ainda mais grave. O nível de água do rio Paraguaçu, que não recebe chuva forte há muito tempo, está bastante baixo. Por isso, na última semana, o Inema suspendeu em 50% o uso do volume de água permitido para este rio. 

Isso agrava a crise hídrica em Salvador, que tem 60% da sua água proveniente deste rio. Com mais de 600 quilômetros de extensão, passam mais de 20 municípios pelo Paraguaçu, que deságua na Baía de Todos-os-Santos. 

Dessa forma, os 2,3 milhões de baianos que dependem do rio podem sofrer com a escassez. Além disso, a água do Paraguaçu é utilizada por milhares de agricultores para irrigar plantações onde são cultivados alimentos básicos. 

A falta de água afeta todo o ecossistema, bem como a economia. Os rios são essenciais para todas as civilizações, desde o cultivo de alimentos até o fornecimento de água e energia. Vamos entender melhor as consequências geradas por esta escassez? 

Quais são os possíveis impactos da crise hídrica em Salvador? 

falta água em Salvador

Em escala global, os impactos da crise hídrica ganham proporções imensas. Por outro lado, a falta de água em pequenas ou grandes regiões provoca a mesma reação em cadeia. 

Já falamos sobre uma importante consequência: a redução na produção de alimentos básicos. A agricultura é diretamente dependente do fornecimento hídrico.  

Sem chuvas e água para irrigar as plantações, os alimentos não suprem a demanda da população. Logo, os preços também sobem, dificultando ainda mais a vida nas grandes cidades. 

Da mesma forma, o fornecimento de energia fica comprometido. A Usina Pedra do Cavalo abastece a capital baiana e fica no rio Paraguaçu, que se encontra com capacidade reduzida. A crise hídrica em Salvador já gerou um curto apagão na capital, no início de outubro 

Além disso, o baixo nível dos reservatórios das regiões Sul e Sudeste também podem piorar a situação dos baianos. Como uma coisa pode ter a ver com a outra? 

Primeiramente, é preciso entender a relação entre a água e a geração de energia. No Brasil, as hidrelétricas têm um imenso protagonismo: 65% de nossa energia é de aproveitamento hidráulico. O sistema de geração de energia elétrica do nosso país é interligado.  

Assim, reservatórios de outras regiões podem ajudar a suprir a demanda de lugares distantes. É o que pode vir a acontecer, caso as regiões Sul e Sudeste não recebam o volume de chuvas suficienteDefinitivamente, não ajudaria a situação da crise hídrica em Salvador e em toda a Bahia. 

Soluções para a falta de água  

Afinal, quais medidas podem ser tomadas para prevenir estes problemas? A escassez de água já é uma realidade para muitas pessoas no mundo. Segundo a Unicef, menos da metade da população mundial tem acesso à água potável. 

crise hídrica em Salvador é só um pedaço do problema, que pode afetar a todos nós. A incapacidade de suprir a demanda hídrica no mundo é muito preocupante.  

Existem diversas entidades e movimentos alertando para os riscos iminentes da escassez. Assim, é preciso unir esforços para buscar resolver esta questão global. Empresas e governos têm um papel fundamental na gestão dos recursos hídricos. Alguns países já conseguiram ótimos resultados com soluções alternativas.  

Para todos nós, algumas mudanças cotidianas também podem ajudar. Economizar água e energia são atitudes diárias que podemos tomar. Cuidar do meio ambiente, bem como consumir sempre com consciência podem fazer a diferença. 

Esperamos que este texto tenha sido útil e que ajude a levantar uma reflexão. O que você faz para ajudar a preservar a água no seu dia a dia?