5% off na primeira compra. Aproveite!

Água no Rio de Janeiro: de onde ela vem?

água no RJ

Você sabe como funciona o abastecimento de água no RJ? Dificilmente pensamos no caminho que a água percorre até chegar até a torneira das nossas casas. 

Do mesmo modo, quando há alguma alteração na água, também não entendemos o que pode ter causado este problema.

No início deste ano, houve uma importante crise hídrica no Rio de Janeiro, em função de alterações na qualidade da água. Neste texto, oferecemos um panorama sobre a situação da água no RJ e como funciona o abastecimento dos cariocas.

De onde vem a água que tomamos no Rio de Janeiro?

abastecimento de água rio de janeiro

Primeiramente, é importante saber que a Região Metropolitana do RJ concentra 75% da população do Estado em seus 18 municípios. A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro – CEDAE – é a responsável pelo tratamento e distribuição.

Quase 100% das demandas atuais de abastecimento de água no RJ são atendidas por 3 sistemas. Acari, Guandu, bem como Ribeirão das Lajes são sistemas produtores de água integrados. Existe ainda mais um sistema – Imunana/Laranjal – que é um produtor independente.

O primeiro deles – Acari –  é formado por 5 subsistemas: São Pedro, Rio d’Ouro, Tinguá, Xerém e Mantiqueira. Estes, por sua vez, possuem estruturas simples de captação e apresentam regimes sazonais de vazão. 

O sistema Guandu é o mais importante de todos. Ele é responsável pelo abastecimento da maior e mais povoada parcela da RMRJ. Esta parcela compreende a cidade do Rio de Janeiro, juntamente com grande parte da Baixada Fluminense.

A princípio, parece esquisito imaginar que o abastecimento de uma cidade pode ter origem em outro estado. Mas, é exatamente isso que acontece com a água no RJ. A bacia hidrográfica do Rio Guandu é proveniente da transposição do rio Paraíba do Sul, que nasce em São Paulo. Se quiser saber mais sobre o abastecimento em SP, leia outro artigo do nosso Blog.

Contando com essa garantia hídrica, existe um projeto de ampliação do Guandu em andamento. Ele visa aumentar a capacidade de atendimento, bem como ganhar mais flexibilidade de manutenção e operação. 

Assim também, com o foco de proteger o manancial, é recomendado fazer algumas obras. A implantação de sistemas de coleta e tratamento de esgotos nos municípios localizados acima das água desta captação é essencial.

Crise de água no RJ

filtragem e purificação de água no rio de janeiro

No início deste ano, instalou-se uma crise hídrica no Rio de Janeiro. Muitos moradores começaram a reclamar que a água distribuída pela Cedae estava saindo turva, com gosto e cheiro de terra.

A responsável por esse efeito é a geosmina, uma substância orgânica produzida quando há muita algas e bactérias na água. Logo depois de identificar uma grande quantidade de detergentes na Guandu, a Cedae chegou a paralisar as operações.

Assim, com mais de 15 horas sem funcionamento, o desabastecimento trouxe consequências. Muitas escolas da rede pública adiaram início do ano letivo. Posteriormente, as áreas mais sensíveis (unidades de saúde, escolas e presídios) foram abastecidas com prioridade.

Nada de novo

A crise de água no RJ pode ter ocorrido de repente. Por outro lado, há anos se sabe sobre a fragilidade no abastecimento de água da região. Isso ocorre devido à forte presença de esgoto doméstico e poluição industrial nos afluentes do rio Guandu. A ingestão de água contaminada é a causa de diversos problemas de saúde.

Segundo dados do SNIS, isto é reflexo dos baixos índices de coleta e tratamento de esgotos. Logo, a crise vivida pela RMRJ evidencia a importância e relação entre serviços de água e esgoto. 

Afinal, este é um processo circular: aquele que recebe os esgotos in natura serve também de manancial. Para melhorar o acesso e a qualidade da água no RJ, é preciso atuar igualmente em duas frentes. Não adianta só expandir o abastecimento de água, mas também investir na coleta e no tratamento de esgoto.

E você, já tinha parado para pensar na origem da água da sua casa? Interessante descobrir que atravessa estados e percorre mais de 1.000 km para chegar até a sua torneira. Esperamos ter levado mais informação de qualidade para você cuidar ainda mais da sua saúde e da saúde da água.