12 mitos e verdades sobre câncer de mama

No mês de conscientização e combate ao câncer de mama, queremos abordar alguns pontos sobre a doença que ainda geram muita confusão e que, muitas vezes, dificultam o diagnóstico. Ainda há muita falta de informação e dúvidas não esclarecidas para as brasileiras, que são muito importantes. Tome nota:

1. Algumas mulheres da minha família tiveram câncer de mama. Por isso, corro mais riscos.
Verdade – Ter mãe, irmã ou filha com câncer de mama aumenta o risco em 80%. Há um teste que mostra se há mutações genéticas. Se for detectada a mutação, as cirurgias preventivas conseguem reduzir bastante esse risco.

2. Fazer mamografia todos os anos é necessário para detectar tumores. 
Verdade – A mamografia é a principal forma de diagnóstico precoce da doença. Quem tem histórico familiar deve fazer o exame a partir dos 25 anos. As demais, após os 40. O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura.

3. Faço o autoexame apalpando meus seios em busca de caroços. Não preciso de outros exames. 
Mito – O autoexame das mamas é uma prática positiva, que deve ser estimulada. Contudo, ele não é capaz de detectar vários tipos de tumores, especialmente aqueles em fase inicial, com maiores chances de cura.

4. Mulheres obesas ficam mais suscetíveis à doença.
Verdade – O excesso de peso é prejudicial porque o tecido gorduroso aumenta os níveis de estrogênio.

5. A terapia de reposição hormonal pode ser um fator de risco.
Verdade – A terapia costuma ser usada em mulheres na pós-menopausa para melhorar os sintomas do climatério e reduzir a osteoporose. Porém, o uso de estrogênio e progesterona compromete as alterações que as glândulas mamárias sofrem com o avançar da idade. Isso aumenta o risco de câncer de mama quando o uso é por tempo prolongado.

6. Quem menstrua muito cedo ou é mãe depois dos 30 anos tem maior probabilidade de desenvolver a doença.
Verdade – O risco aumenta porque essas mulheres menstruam mais vezes ao longo da vida, ficando excessivamente expostas aos hormônios estrogênio e progesterona.

7. Praticar uma atividade física ajuda na prevenção.
Verdade– Cerca de 30 minutos diários de caminhada são suficientes, além de trazer outros benefícios para o corpo.

8. Próteses de silicone podem causar câncer.
Mito– Não há relação entre câncer de mama e próteses de silicone. O único problema é que o implante pode dificultar o diagnóstico de tumores.

9. Existem tipos diferentes de câncer de mama

Verdade –  A medicina consegue identificar diferentes tipos de câncer de mama e os tratamentos são cada vez mais específicos.

10- A mulher que retira o tumor perde a mama

Mito – A cirurgia de retirada do tumor ou de toda a mama faz parte do tratamento contra o câncer, mas a reconstrução pode e deve ser feita. Atualmente, a tendência é preservar a maior parte da mama, sempre respeitando a segurança oncológica da paciente.

11- Amamentar protege a mama do câncer.

Verdade – Quando o bebê mama, as células mamárias ficam produzindo leite e se multiplicam menos, o que reduz o risco de contrair a doença.

12 – Dor nas mamas é sinal de câncer.

Mito – O principal sintoma é o nódulo (caroço) que aparece nas mamas, que pode ou não ser acompanhado de dor. Além disso, podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo, ou aspecto enrugado semelhante à casca de laranja, e até mesmo secreção no mamilo. Mas, na maioria dos casos, a dor nas mamas é apenas sinal de alterações benignas causadas pelas oscilações hormonais.

Assine nossa news

X FECHAR

Sobre o que gostaria de saber?

Deixe sua sugestão com a gente, o seu tema pode ser escolhido para o próximo post.